A Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI), a Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres (CNTTT), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (CONTRATUH), juntamente com representantes das demais centrais sindicais, se reuniram no início da semana, (14/6), para tratar do Financiamento da Atividade Sindical no escritório da Força Sindical em Brasília. O Projeto que trata da contribuição sindical poderá ser votado na próxima semana.


“Acredito que não podemos seguir com o projeto sem antes analisar de forma detalhada. Precisamos conversar com os trabalhadores e avaliar cada um dos artigos propostos neste relatório”, comentou o presidente da Nova Central, José Calixto Ramos.


Ao longo de toda reunião o relator do projeto, Adalberto Galvão, “o Bebeto”, deputado federal do PSB-BA, fez questão de comentar e discutir com as centrais e confederações alguns dos itens mais polêmicos e importantes. Nos casos em que não havia consenso, ficou acordado que novas reuniões seriam realizadas posteriormente para tratar dessas questões específicas. “O relatório aqui apresentado teve a participação de diversas instituições, como por exemplo, o Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público do Trabalho, Tribunal de Contras da União, Ordem dos Advogados do Brasil, da classe patronal, da classe trabalhadora entre outras. Desta forma reforço aqui que só seguiremos se houver de fato consenso nas ideias, para que assim possamos avançar”, enfatizou o deputado.


Os tópicos que tratavam dos servidores públicos, dos aposentados e pensionistas e das empregadas domésticas, incluindo-os também no processo com soluções para a taxa negocial e contribuição sindical, houve a necessidade de um maior tempo para possíveis acertos, por se tratarem de assuntos de extrema relevância. “Precisamos discutir e conversar como será possível uma solução para a taxa negocial no que diz respeito também aos servidores públicos e garantir assim vantagens para a categoria”, reforçou o presidente da CSPB, João Domingos.


Tanto o presidente da Comissão Especial do Financiamento da Atividade Sindical, Paulinho da Força (SD-SP), quanto o relator, Bebeto Galvão, todos os dois foram enfáticos em dizer que o momento seria oportuno para o movimento sindical, por se tratar da análise de um projeto que visa em especial possibilitar maior autonomia para os sindicatos, federações, confederações e centrais sindicais, com a criação do Conselho Nacional de Autorregulação Sindical, entre outras medidas.


Até a data presente já foram realizados vários encontros e audiências públicas para tratar do financiamento da atividade sindical. E de acordo com o relator do projeto, tantas outras reuniões poderão ainda ser realizadas para sanar qualquer tipo de dúvida ou discussão.


Na Câmara dos Deputados houve nesta quarta-feira (15/6), reunião Deliberativa Ordinária da Comissão Especial do Financiamento da Atividade Sindical, no Plenário 1 do Anexo II, aonde novamente o relator fez um apanhado geral e exposição do projeto, desta vez para os parlamentares, que decidiram pedir vista do relatório. A Nova Central esteve presente, por meio de seus líderes sindicais, acompanhando os pronunciamentos, deliberações e encaminhamentos.


Está marcada para a próxima segunda-feira (20/6), às 10h, uma reunião na sede da Nova Central Nacional, em Brasília, com o relator do projeto em questão, Bebeto Galvão, para novas discussões e análises. Com previsão de seguir a proposta com o rito normal na Câmara dos Deputados durante a próxima semana.

 

Login Formulário

Facebook

Mineiro consegue reconhecimento de responsabilidade de mineradora por acidente c...
Mineiro consegue reconhecimento de responsabilidade de mineradora por acidente com desabamento

A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu a responsabilidade objetiva da Carbonífera Belluno Ltda., de [ ... ]

ArtigosLeia mais...
Rede da legalidade democrática envolveu 500 mil pessoas em 1.500 cidades
Rede da legalidade democrática envolveu 500 mil pessoas em 1.500 cidades

Em agosto de 1961, portanto, há quase 55 anos, o Brasil conheceu inédita campanha da legalidade em defesa da ordem jurídica [ ... ]

ArtigosLeia mais...
Até que ponto devemos competir?
Até que ponto devemos competir?

Quantas vezes, em sua formação profissional, você ouviu dizer que precisava ser ‘competitivo’? Inúmeras, certamente. [ ... ]

ArtigosLeia mais...

Presidente

Cícero Carlos da Silva

Convenções



Convenção Coletiva 2016

Convenção Coletiva 2015

Convenção Coletiva 2014

Convenção Coletiva 2013

Convenção Coletiva 2012

Visitantes

Temos 47 visitantes e Nenhum membro online

Visitas no Site

Contador de visitas

Relatório aponta muitos acidentes no setor da mineração
Relatório aponta muitos acidentes no setor da mineração

Audiência lembra tragédia em Mariana ao debater pesquisa que aponta necessidade de melhora nas condições de trabalho. O [ ... ]

CNTILeia mais...
CERIMÔNIA DE POSSE DA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA - CNT...
CERIMÔNIA DE POSSE DA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA - CNTI

No dia 29 de maio, no auditório da sede nacional da CNTI, em Brasília, tomou posse, num clima de muita união e compromisso, [ ... ]

CNTILeia mais...
Nova Central reforça importância do crescimento econômico do Brasil em reunião c...
Nova Central reforça importância do crescimento econômico do Brasil em reunião com Michel Temer

Nesta sexta-feira (10/06), o presidente da Nova Central Nacional, José Calixto Ramos, o vice-presidente, Francisco Chagas [ ... ]

CNTILeia mais...
Financiamento da Atividade Sindical está sendo discutido entre as Centrais Sindi...
Financiamento da Atividade Sindical está sendo discutido entre as Centrais Sindicais e Confederações

A Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI), a Confederação [ ... ]

CNTILeia mais...

Copyright © 2016 Sitigram - Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias gráficas de Maringá. Todos os direitos reservados.